Doenças da tireoide podem ser diagnosticadas através de exames de imagem

A tireoide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço e que regula o metabolismo do corpo humano. Se houver uma desregulação da secreção dos hormônios, a tireoide pode apresentar problemas, como o surgimento de nódulos e cistos. E tais irregularidades podem ser identificadas através de exames de ultrassom e punção.

Os hormônios da tireoide, o T3 (triiodotironina) e o T4 (tiroxina), são responsáveis pela regulação da taxa de metabolismo, controle dos batimentos cardíacos, funcionamento intestinal, memória, humor, funções de aprendizado, entre outras. Por essa razão é importante que sejam avaliados caso seja identificado grande aumento dos níveis dos hormônios tireóideos no sangue (hipertireoidismo) ou grande diminuição (hipotireoidismo).

Um médico experiente pode auxiliar nesse processo. Ele fará uma cuidadosa palpação no pescoço do paciente procurando por aumento e irregularidades na tireoide e nos gânglios cervicais. Caso sejam encontrados, pedirá um exame de ultrassom da tireoide, o que pode ajudar no diagnóstico diferencial entre uma cavidade contendo líquido (cisto) e tecido anormal que pode ou não pode ser cancerígeno (um tumor). Caso apareçam nódulos, fará a punção.

O médico patologista, Dr. Ricardo Souza, explica que, para se realizar a punção, leva-se em consideração o tamanho do nódulo bem como características ultrassonográficas associadas com maior suspeição como: nódulos hipoecogênicos, com microcalcificações, com margens irregulares e aumento da vascularização.

Segundo o médico, a utilização do ultrassom junto com o exame de punção da tireoide é ainda melhor, pois, com o exame, pode-se atingir nódulos menores, colher material da área sólida em nódulos com conteúdo sólido-cístico. “Em geral conseguimos monitorar o trajeto da agulha durante todo o procedimento, reduzindo assim o risco de complicação do exame”, explica.

O patologista explica que a indicação de punção da tireoide leva em consideração três critérios segundo a ATA (American Thyroid Association): dosagem sérica de TSH, características ultrassonográficas do nódulo e tamanho do nódulo. Por isso a punção é feita após o exame ultrassonográfico: quando os nódulos de tireoide são grandes, eles são visíveis, mas quando são pequenos, às vezes, mesmo com a palpação de um médico, podem não ser notados. Dr. Ricardo Souza afirma que, através da punção, pode-se identificar se o material citopatológico colhido tem risco de malignidade do nódulo.

O especialista esclarece ainda que, na punção por agulha fina, leva-se em consideração características citológicas, como tipo celular, quantidade de coloide e/ou células inflamatórias e características nucleares e citoplasmáticas das células foliculares. “Não é possível, no entanto, avaliar a relação das células com o tecido adjacente, como presença de invasão, critério fundamental para caracterização do carcinoma folicular da tireoide”, conclui.

Dr. Ricardo Souza

This site uses cookies to offer you a better browsing experience. By browsing this website, you agree to our use of cookies.
X
X
X